O Bolsa-família foi criado originalmente por FHC e a Estabilização da Economia, que permite vida melhor e MELHOR RENDA aos brasileiros mais pobres
é OBRA DE ITAMAR E FHC!

- O que não se perdoa ao Presidente FHC é o seu Sucesso! -

Aos Blogueiros Decentes
Ainda que teus passos pareçam inúteis, vai abrindo caminhos,
como a água que desce cantando da montanha. Outros te seguirão...
(Saint-Exupéry)


31 de dezembro de 2008

Minha Homenagem!

Neste último dia de 2008
Minha Homenagem à todas as pessoas que lutaram

pela Dignidade
pela Justiça
pela Integridade
pela Honestidade
pela Honra
pela Decência
pela Solidariedade
e, especialmente,
pela Liberdade de Expressão

Mudança de Ano - Mudança de Atitude

Sempre há grande expectativa nas mudanças no mundo de um ano para outro e, é claro, a expectativa das mudanças interiores e físicas, na vida de cada pessoa.
É fácil constatar isso ao considerarmos as “resoluções de Ano Novo” das pessoas que, embora na maioria das vezes sem formalizar, acabam tendo essas reflexões como momentos marcantes em suas vidas.
Uniões para a solidariedade iniciadas em pequenas células e nos pequenos grupos independentes se espalham e é possível perceber maior consciência quanto à prática da solidariedade e do respeito ao Todo.
O crescimento da responsabilidade e atuação individual para o benefício geral é motivado, também, pela constatação da forma corporativista e egoísta das ações dos políticos, que se unem cada vez mais para obter apoio, uns dos outros, em seus deslizes e ambições absolutamente pessoais.
O povo é encarado apenas como objeto das campanhas de “marketing”, em busca dos votos nas eleições futuras.
E o "marketing" leva o eleitor a engolir gato por lebre!
Ah!... os "marketeiros" prestariam grande serviço ao País se utilizassem suas idéias e talentos para produtos menos prejudiciais à população.

É necessário maior discernimento para que todos possam identificar melhor as palavras vazias de governantes vazios, incompetentes, desonestos e preocupados apenas em satisfazer as próprias ambições e prazeres.

A atenção com a harmonia do planeta aumenta (independente das ações, nem sempre inteligentes dos líderes mundiais) e algumas crianças (5, 7, 10 anos) nos dão verdadeiras lições de respeito à vida e ao planeta, com atitudes espontâneas e responsáveis de cuidado com a natureza. É necessário que haja maior consciência e responsabilidade individual, vitais para essa harmonia, com a vivência da sensibilidade, da união, da pacificação, cooperação e da dedicação e apoio aos que necessitam.

Este, 2008/2009, é mais um momento de mudança, em que cada um de nós encontra as melhores energias para utilizar positivamente todo o conhecimento adquirido, visando estabelecer paz interior e qualidade ideal de vida, para si e para todos os “estarmos humanos”.
Feliz Ano Novo!

Em 1992 ALERTA AOS LÍDERES MUNDIAIS... E o que mudou???

ACORDEM "ADULTOS"!

Olá, sou Servem Suzuki. Represento a ECO, a organização das crianças em defesa do meio ambiente. Somos um grupo de crianças canadenses, de 12 e 13 anos, tentando fazer a nossa parte. Vanessa Suttie, Morgan Geisler, Michelle Quigg e eu. Todo o dinheiro que precisávamos para vir de tão longe, conseguimos por nós mesmos. Para dizer que vocês, adultos, têm que mudar seu modo de agir!

Não preciso disfarçar meu objetivo ao vir aqui hoje.
Estou lutando pelo meu futuro.
Não ter garantia quanto ao meu futuro não é o mesmo que perder uma eleição ou alguns pontos na bolsa de valores. Estou aqui para falar em nome das gerações que estão por vir. Estou aqui para defender as crianças com fome, cujos apelos não são ouvidos. Estou aqui para falar dos incontáveis animais morrendo em todo o planeta, porque já não têm para onde ir. Não podemos mais permanecer ignorados. Hoje, tenho medo de tomar sol por causa dos buracos na camada de ozônio. Tenho medo de respirar esse ar, porque não sei que substâncias químicas o estão contaminando.

Eu costumava pescar com meu pai, em Vancouver, até o dia em que pescamos um peixe com câncer. Temos conhecimento de que animais e plantas estão sendo destruídos a cada dia, e em vias de extinção. Durante toda minha vida eu sonhei em ver grandes manadas de animais selvagens, selvas, e florestas tropicais repletas de pássaros e borboletas mas, agora, eu me pergunto se meus filhos vão poder ver tudo isso. Vocês se preocupavam com essas coisas quando tinham a minha idade?
Todas essas coisas acontecem bem diante de nossos olhos e, mesmo assim, continuamos agindo como se tivéssemos todo o tempo do mundo e todas as soluções. Sou apenas uma criança e não tenho as soluções, mas quero que saibam que vocês também não têm. Vocês não sabem como reparar os buracos na camada de ozônio. Vocês não sabem como salvar os salmões das águas poluídas. Vocês não podem ressuscitar os animais extintos. Vocês não podem recuperar as florestas que um dia existiram onde hoje é um deserto. Se vocês não podem recuperar nada disso, então, por favor, parem de destruir.

Aqui vocês são os representantes de seus governos, homens de negócios, administradores, jornalistas ou políticos mas, na verdade, são mães e pais, irmãos e irmãs, tias e tios, e todos são filhos.
Sou apenas uma criança, mas sei que todos nós pertencemos a uma sólida família de 5 bilhões de pessoas e que ao todo somos 30 milhões de espécies compartilhando o mesmo ar, a mesma água e o mesmo solo. Nenhum governo e nenhuma fronteira, poderá mudar esta realidade.
Sou apenas uma criança, mas sei que esse problema atinge a todos nós e que deveríamos agir como se fôssemos um único mundo, rumo a um único objetivo.Apesar da minha raiva, não estou cega. Apesar do meu medo, não sinto medo de dizer ao mundo como me sinto.

No meu país, geramos tanto desperdício. Compramos e jogamos fora, compramos e jogamos fora, e os países do Norte não compartilham com os que precisam. Mesmo quando temos mais que o suficiente. Temos medo de perder nossas riquezas, medo de compartilhá-las.
No Canadá, temos uma vida privilegiada, com fartura de alimentos, água e moradia. Há dois dias, aqui no Brasil, ficamos chocados quando estivemos com crianças que moram nas ruas. Ouçam o que uma delas nos disse:
- Eu gostaria de ser rica, e se fosse, daria a todas as crianças de rua alimentos, roupas, remédios, moradia, amor e carinho.Se uma criança de rua, que não tem nada, ainda deseja compartilhar, por que nós, que temos tudo, somos ainda tão mesquinhos? Não posso deixar de pensar que essas crianças têm a minha idade e que o lugar onde nascemos faz uma grande diferença. Eu poderia ser uma daquelas crianças que vivem nas favelas do Rio. Eu poderia ser uma criança faminta da Somália, vítima da guerra do Oriente Médio ou mendiga na Índia.

Sou apenas uma criança, mas ainda assim sei que se todo o dinheiro gasto nas guerras fosse utilizado para acabar com a pobreza, para achar a solução para os problemas ambientais, que lugar maravilhoso a Terra seria!

Desde o Jardim de Infância, nos ensinam a sermos comportados, a não brigar com os outros, a resolver as coisas por bem, a respeitar os outros, a arrumar nossas bagunças. Nos ensinam a não maltratar outras criaturas, a dividir o que temos e a não sermos mesquinhos. Então, por que vocês fazem justamente o que nos ensinam a não fazer?
Não esqueçam o motivo de estarem assistindo a estas conferências. E para quem vocês estão fazendo isso? Vejam-nos como seus próprios filhos. Vocês estão decidindo em que tipo de mundo nós iremos crescer. Os pais devem ser capazes de confortar seus filhos, dizendo: “Tudo ficará bem. Estamos fazendo o melhor que podemos”. Mas não acredito que possam nos dizer isto. Estamos sequer na lista de suas prioridades?

Meu pai sempre diz: “Você é aquilo que faz, não aquilo que você diz”. Bem, o que vocês fazem nos faz chorar a noite. Vocês, adultos, dizem que nos amam.
Eu desafio vocês:
Por favor, façam suas ações refletirem suas palavras.
Obrigada.

30 de dezembro de 2008

Rubinho e as brincadeiras...

Rubens Barrichello foi injustiçado na sua carreira.
E humoristas brasileiros, insistentemente, tentam fazer graça com isso.
Acho que há limite para tudo.


Acredito que todos somos passíveis de alguma graça, em razão de eventuais erros e dos "5 minutos" de estupidez, que acontece na vida de todas as pessoas.
A sorte é que, habitualmente, isso acontece quando estamos dormindo, mas em razão da estúpida insistência nas brincadeiras (na maior parte das vezes, sem graça) muitos "humoristas" deveriam pensar em dormir um pouco mais.


Na minha opinião, Rubinho não tem o talento de um Senna.
E inegável é o imenso talento de Schumacher, mas,
se a Ferrari tivesse equilibrado os privilégios, em relação aos dois...

Será que Schumacher seria o que é???

29 de dezembro de 2008

O Relacionamento!

Você não precisa me elogiar!
Na verdade, no nosso relacionamento,
sou, assim, como um espelho...
apenas refletindo a imagem que você me passa!

28 de dezembro de 2008

Atlântida!

Um sonho?
Uma ilusão?

O que você acha?

PAZ!

Por que é tão difícil?
Crianças israelenses, palestinas... paquistanesas, indianas, iraquianas, afegãs, cubanas...

O que as crianças tem com a guerra?
O que as crianças tem com regimes insanos?
Quem ganha com isso?

27 de dezembro de 2008

Fragmento de Música - Adeus ano velho!

...Para os solteiros, sorte no Amor,
nenhuma esperança perdida.
Para os casados nenhuma briga.
Paz e Sossego na Vida!

26 de dezembro de 2008

Pensamento

Reconhecerei as grandes pessoas na minha vida pela maneira com a qual elas tratarem as pequenas!
(Padúia)

Oi Jesus!

É o Celso!
O Senhor sabe, comigo vai tudo bem. Como sempre!
É certo que aparecem dúvidas sobre minha confiança e minha fé…
Mas, li, e ouvi, que também o Senhor passou por isso, quando perguntou ao Pai por que O havia abandonado (Sem pretensão de comparar, é claro!).
Acontece com todos, né Jesus?
Passamos por momentos difíceis, mas somos capazes de superar esses momentos, para conseguirmos os objetivos e metas que desejamos e pelos quais lutamos.
Comparações atrapalham, especialmente quando avaliamos posses materiais e o conforto e o luxo, que para alguns são os únicos objetivos da vida.
Peço, Jesus, que me ajude a fazer que cada pessoa entenda que é protagonista da própria história de vida, capaz de direcionar sua energia familiar para a saúde e para a prosperidade, independente de pais ou ascendentes.
Que me ajude a fazer que compreendam que a história de vida dos pais e suas expectativas, prazer, decepções, desejos e necessidades são apenas deles.
E que compreendam que entre pais e filhos, ascendentes e descendentes, não deve haver nenhum vínculo de compensação, pelo que cada geração conseguiu ou não.

Sou feliz!
Não sou perfeito, é certo!
Sou feliz na medida em que busco o que desejo e necessito, com serenidade e tranquilidade.
Me alegro com a alegria de todos.

E me alegro quando as pessoas que amo ficam felizes por entenderem que o que me agrada é o que me traz felicidade.

Continuo a errar (é constante o prendizado), inclusive em relação à verdadeira medida do material e espiritual, mas penso que essa é uma das grandes lições de todos e que o Senhor compreende minhas limitações e me ajuda na formação dos meus filhos também nesse aspecto, pois conhece a bondade que existe nos seus corações.

Compreendo meus erros e os aceito com naturalidade, pois servem para melhorar o que sou e para me ajudar a entender as razões pelas quais estou na vida.
Peço que me ajude a dizer para as pessoas que erros acontecem para crescimento e evolução. E devem ser superados...
Sem Culpa!

Obrigado!
Boa Noite e até amanhã!

24 de dezembro de 2008

Prá Você...

Feliz Natal!

É Natal...

Vamos lembrar com carinho do Aniversariante e pedir a Ele que nos ajude a compreender melhor e praticar
a Fraternidade,
a Amizade,
a Solidariedade,
o respeito com a nossa casa, a Terra,
a Caridade
e principalmente o Amor,
pois com ele todas as coisas ficam muito mais fáceis!

Feliz Natal!
Seja Feliz!

23 de dezembro de 2008

Clubes, jogadores, empresários...

Não consigo entender como, em nome da legalidade, jogadores ou ex-jogadores profissionais (de qualquer nível) fazem seu trabalho em curtíssimo período e, após, cobrem do clube dezenas de milhões de reais.
Com isso, de mãos dadas com péssimas administrações, ajudam a levar os clubes à uma situação financeira lamentável, impossível de se administrar, criando sentimento de frustração na imensa quantidade dos seus torcedores.


Da mesma forma, não consigo entender que, em nome da legalidade, empresários tornem cativas as famílias das grandes promessas no esporte, via de regra ficando com imensa parte do bolo em caso de venda (Objetivo principal), impondo ao clube formador o retorno de valores muito pequenos, que desestimulam qualquer clube a fazer novos investimentos na sua base.
Ouvi, de um treinador...
- Hoje, alguns jogadores da base, crianças de 11, 12 anos, contratam assessores de imprensa!!!!

E os milhões de torcedores que se sacrificam para ter aquela alegria, só proporcionada pelas vitórias dos seus clubes de coração...
Como ficam???

22 de dezembro de 2008

Jovem não costumava beber!

“Jovem morta em cruzeiro não costumava beber, diz advogado” (site TERRA)

Não conheci Isabella, a jovem que morreu quando participava do cruzeiro universitário.
E constato mais uma vez, com esse acontecimento, que há uma linha tênue entre a vida e o excesso.

É natural concluirmos, pelo nível de estudo, que universitários tenham boa dose de inteligência, mas tento imaginar o que estudantes universitários pensam quando realizam suas festas e eventos...
Habitualmente, nessas festas, há excesso no consumo de álcool e o estudante que destoa e consegue conservar equilíbrio e não beber, ou beber moderadamente, acaba ficando com a pecha de “bundão” e, em geral, é isolado e discriminado pelos universitários que seguem “turmas fortes” e seus “líderes”.
Penso que o verdadeiro “bundão” é o mais fraco que se apóia em outros fracos, formando “turmas fortes”, com estúpidas formas de conduta, tais quais... se não beber é bundão, se não fumar... é bundão... se não transar... é bundão.
Esse, aliás, é um dos recursos utilizados para superar a timidez e a inibição...
É da idade?
É da tradição?
Ora...Em reuniões, e festas, o que se aproveita é o contato, a conversa, a alegria, a paquera, novas amizades e, natural, alguns acontecimentos fora desse “script”.
Daí, ao excesso absurdo de provocar um triste acontecimento como desse cruzeiro universitário, que certamente marcará a vida dos que estimularam Isabella a beber em excesso (se foi essa a causa) e, também, daqueles que assistiram os acontecimentos e preferiram praticar o ato da... omissão.
Quem é responsável?

Perfeita como remédio e errada como dose (a meu ver, pois acaba punindo os responsáveis também), a Lei Seca serve para inibir aqueles que não conseguem se controlar na medida e assumem a direção de qualquer veículo, pondo em risco a vida de todos.
É evidente que não se pode impor medidas à uma pessoa sobre quanto ela pode ou deve beber e arriscar a própria vida, mas, em relação aos estudantes que estimulam colegas a sair do equilíbrio...
Não caberia uma campanha de conscientização sobre a responsabilidade dos universitários e na medida da inteligência universitária, mesmo que fosse preciso desenhar?

Quanto mais leve, mais alto...

(Do blog: http://pegandoondaemsolmaior.blogspot.com/)

Ontem estava correndo na rua, e ja faz algum tempo que estou tentando voltar à minha melhor forma, quando corria 9km em 50 min, cheguei na marca, relaxei e não consegui mais voltar, desde 2005.
Passei por alguns momentos tensos em 2008, e fiquei com os ombros travados, pesados alguns dias. Ontem foi um deles. Meu ombro direito doía e estava com a cabeça pesada, e tentando melhorar meu desempenho na corrida, fui pensando em correr mais "leve", foi quando de repente como por mágica muita coisa fez sentido pra mim e veio na minha mente:
"quanto mais leve mais alto, quanto mais leve mais rápido, quanto mais leve mais longe...

Se levamos a vida reclamando, ficando nervosos, estressados, bravos, estamos levando uma vida "pesada" e se conseguimos viver deixando pra lá as coisas ruins e focando nas coisas boas, então levamos uma vida mais "leve" e levando uma vida leve, corremos mais rápido, chegamos mais longe e voamos mais alto.
Afinal, quanto mais leve mais alto.


Postado por Luciano Mathias Junqueira às
04:40

21 de dezembro de 2008

Vencidos e vencedores!

Hoje, mais uma vez, ouço a afirmação de um pai, em relação ao filho:
- "No mundo existem os vencedores e os vencidos".
Por essa razão é que radicalizo nas cobranças da competência e da responsabilidade do meu filho adolescente.
É porque "gosto dele"!

Em resumo:
Importante é que seja um "Vencedor".

Ser Feliz... não importa!

Preços!


Existem pessoas que não abrem mão da dignidade, mesmo a preço das suas realizações de vida, do seu sucesso e da sua prosperidade.
Em contrário, existem pessoas que não abrem mão do sucesso e da prosperidade, a preço da própria dignidade...

20 de dezembro de 2008

Esta mensagem é para você...


...que está presente no meu cotidiano, mas é também para você que está ausente
...que eu lembro com frequência e lembra de mim com frequência, mas é também para você, que tenho esquecido e que não tem lembrado de mim
...que eu magoei, por qualquer razão, mas é também para você que me entristeceu alguma vez
...que tem algum carinho por essa amizade, mas é também para você que talvez não a considere
...que valoriza minhas atitudes e postura, mas é também para você que mostra indiferença a respeito

Obrigado a todos que passam na minha vida, estejam a quaquer distância.

A mensagem é, também, para todas as pessoas que passaram na minha vida e se foram,
mas deixaram exemplos para meu aprendizado e muitas lições,
estas utilizadas para me fortalecer e nortear minha conduta e atitudes

Obrigado a todos que passaram na minha vida!
Vocês estão no meu coração!

E saibam todos que aceito apenas coisas boas e especiais no meu coração...
Então, hoje,
faço um prece especial ao Aniversariante de 25/12,
pedindo que ele toque meu coração e abençoe a cada um de vocês, que lá está,
ajudando-os a conservar a Alegria e a Felicidade.
Peço ainda que Ele conceda a você e aos seus, toda Saúde, Paz, Felicidade e Prosperidade,
que desejam e buscam.

Feliz Natal!

Feliz e Próspero 2009!
Sejam Felizes!

19 de dezembro de 2008

Homenagem à Adriana!

"...Saiba quem... agride a minha lira
Quanto mais ferida, mais diz o que sente..."
(Taiguara - Se vivo, acredito, não estaria justificando "maracutaias")

Sem surpresa de quem já usava mínimo discernimento, constata-se que os recados aos militares, através da música, por quem se imaginava idealista e não "ideologista", "nunca antes neste pais" estiveram tão atualizados e tão merecedores.
Sem surpresa, constata-se que as pouquíssimas moscas, de então, se transformaram em verdadeiros enxames, com o descomunal tamanho do monte e com o odor insuportável.
Sem surpresa, a Democracia acaba se tornando uma questão de pura "interpretação"
Sem "Surpresa"?
Alguém, com algum discernimento, esperava mais que tudo isso?

Democracia no século XXI:
Demos
Sufixo de origem grega, derivado de um verbo que queria dizer dominar ou exercer o poder pela força.
DIFERE etimologicamente do sufixo arquia, originário do verbo grego archein, que significa ser o primeiro, estar à frente, no sentido de comandar e começar, de desencadear um processo, dando o exemplo.
Cracia (pode ser relativo às cracas, que grudam nos barcos e nos navios "abaixo da linha da água")

18 de dezembro de 2008

Não podem faltar na sua Consciência!

Parceria da Inocência “ideológica”


O sentimento é o da ofensa pessoal quando atacam o “meu” governante ou o “meu” candidato, com quem comungo os mesmos ideais, a mesma convicção, a mesma decência ou... a falta dela.
Qual a base para a indignação e para o sentimento da ofensa, quando o eleitor vive, em si mesmo, a “injustiça” da acusação suspeita (ou claramente comprovada) de infindáveis e inesgotáveis falcatruas, acobertamentos políticos, roubo, indignidade e “maracutaias” do "seu" governante?
Qual deve ser a base, e a medida, para a simpatia e para a solidariedade?
Como falar, defender e argumentar em nome de governantes que vivem sob infindáveis e inesgotáveis suspeitas, além de se mostrarem claramente incapazes?
Ideologia?
Companheirismo?
A Parceria da “boquinha”?
Como se pode aceitar a desintegração da própria dignidade em troca de “30 moedas”, no final do mês, ou em troca do conforto da “boa vida”, proporcionada pelo dinheiro dos “tolos” (o Brasil é o país deles) que pagam seus impostos com honestidade?
“Estamos todos em um mesmo barco, em mar tempestuoso, e devemos uns aos outros uma imensa lealdade” (G.K.Chesheston).
É claro que sim!
Mas a lealdade deve ser para o TODO e não para ideologias ou para aceitar de forma conivente a corrupção em níveis elevadíssimos, que registra na história de vida de quem o faz a marca do crime da cumplicidade.
Não há ideologia que pregue a “maracutaia”, a desonestidade, o aproveitamento do dinheiro público, este que poderia diminuir o sofrimento do povo em geral, com destaque para os mais inocentes e crédulos. E gente mais simples, de menor cultura, é o principal alvo dos aproveitadores “ideologistas”, como sugeria Hitler no “Mein Kampf”!
Se não há ideologia que pregue..., HÁ a que pratique!
E quem aceita a corrupção e a defende como ideologia ou faz parte dela e não quer abrir seus olhos vive a mesma indignidade, apenas com a diferença que alguns o fazem por pura inocência e ingenuidade.

17 de dezembro de 2008

Adriana, você não está sozinha!

Adriana
Você não está sozinha!

Aprendi a ler com 5 ou 6 anos de idade, treinando no "Estado de São Paulo" e "Folha de São Paulo", jornais assinados por meu pai na época.
E com o que aprendi, entendi perfeitamente seu texto.

Continue com sua Coragem, Dignidade, Integridade, Honestidade e Decência.
Haveremos de melhorar "essepais"!

Você não está sozinha!

Visite o
http://www.prosaepolitica.com.br
Exemplo de Coragem e Responsabilidade!

16 de dezembro de 2008

Comodismo = Conivência!

Aceitar "maracutaias" e "aloprações" por comodismo é praticar a conivência!

15 de dezembro de 2008

Devo me preocupar com a Água?

Carta escrita no ano de 2070 d. C.

Acabo de completar 50 anos, mas a minha aparência é de alguém com 85.
Tenho sérios problemas renais porque bebo muito pouca água. Creio que me resta pouco tempo. Hoje sou uma das pessoas mais idosas nesta sociedade.
Recordo quando tinha cinco anos. Tudo era muito diferente.
Havia muitas árvores nos parques, as casas tinham bonitos jardins e eu podia desfrutar de um banho de chuveiro. Agora usamos toalhas de azeite mineral para limpar a pele.
Antes, todas as mulheres mostravam as suas formosas cabeleiras. Agora, devemos rapar a cabeça para a manter limpa sem água.
Antes, o meu pai lavava o carro com a água que saía de uma mangueira. Hoje, os meninos não acreditam que a água se utilizava dessa forma.
Recordo que havia muitos anúncios que diziam CUIDA DA ÁGUA, só que ninguém ligava, pensávamos que a água jamais podia acabar. Agora, todos os rios, barragens, lagoas e mantos aqüíferos estão irreversivelmente contaminados ou esgotados.
Antes, a quantidade de água indicada como ideal para beber eram oito copos por dia por pessoa adulta. Hoje só posso beber meio copo.
A roupa é descartável, o que aumenta grandemente a quantidade de lixo e tivemos que voltar a usar os poços sépticos (fossas) como no século passado já que as redes de esgotos não se usam por falta de água.
A aparência da população é horrorosa; corpos desfalecidos, enrugados pela desidratação, cheios de chagas na pele provocadas pelos raios ultravioletas que já não tem a capa de ozônio que os filtrava na atmosfera.
Imensos desertos constituem a paisagem que nos rodeia por todos os lados.
A industria está paralisada e o desemprego é dramático.
As fábricas dessalinizadoras são a principal fonte de emprego e pagam-nos em agua potável os salários. Os assaltos por um bidão de água são comuns nas ruas desertas.
A comida é 80% sintética.
Pela ressequidade da pele, uma jovem de 20 anos está como se tivesse 40.
Os cientistas investigam, mas não parece haver solução possível. Não se pode fabricar água, o oxigênio também está degradado por falta de árvores e isso ajuda a diminuir o coeficiente intelectual das novas gerações.
Alterou-se também a morfologia dos espermatozóides de muitos indivíduos e como conseqüência há muitos meninos com insuficiências, mutações e deformações.
O governo cobra-nos pelo ar que respiramos. As pessoas que não podem pagar são retiradas das "zonas ventiladas". Estas estão dotadas de gigantescos pulmões mecânicos que funcionam a energia solar. Embora não sendo de boa qualidade, pode-se respirar.
A idade média é de 35 anos.
Em alguns países existem manchas de vegetação, normalmente perto de um rio, fortemente vigiadas pelo exercito. A água tornou-se um tesouro muito cobiçado - mais do que o ouro ou diamantes.
Aqui não há arvores, porque quase nunca chove e quando se registra precipitação, é chuva ácida.
As estações do ano tem sido severamente alteradas pelos testes atômicos.
Advertiam-nos que devíamos cuidar do meio ambiente e ninguém fez caso.
Quando a minha filha me pede que lhe fale de quando era jovem descrevo o bonito que eram os bosques, falo da chuva, das flores, do agradável que era tomar banho e poder pescar nos rios e barragens, beber toda a água que quisesse e como eram saudáveis as pessoas, ela pergunta-me: Papai ... Porque se acabou a água?
Então, sinto um nó na garganta; não deixo de me sentir culpado, porque pertenço à geração que foi destruindo o meio ambiente ou simplesmente não levamos em conta tantos avisos.
Agora os nossos filhos pagam um preço alto e sinceramente creio que a vida na terra já não será possível dentro de muito pouco tempo, porque a destruição do meio ambiente chegou a um ponto irreversível.
Como gostaria voltar atrás e fazer com que toda a humanidade compreendesse isso, quando ainda podíamos fazer algo para salvar ao nosso planeta terra!


Texto publicado na Revista "Crônicas de Los Tiempos (Abril/2002)

Fragmento da música - A Guerra dos Meninos Roberto Carlos

Hoje eu tive um sonho e foi o mais bonito
que eu sonhei em toda a minha vida

Sonhei que todo mundo vivia preocupado,
tentando encontrar uma saída...

12 de dezembro de 2008

Cala a boca, Adriana!

Não me elogia?
Então, cale sua boca!
É o máximo que posso permitir!
E se disser a verdade... processo você!

Iniciei este Blog, sem pretensões, em 8/11 (não informei a ninguém, até hoje), com um pensamento e uma dúvida:

O pensamento...
Não tentarei tornar digna toda a Terra. Tentarei tornar digno apenas o espaço de vida que ocupo. Assim, estarei fazendo a minha parte! (Padúia)
A dúvida...
Será que gente honesta JÁ ESTÁ em minoria?

E você?
Tem alguma dúvida?
É digno o espaço de vida que você ocupa?
Qual a sua parte na responsabilidade sobre tudo o que está acontecendo no Brasil nos dias de hoje?

A “mordaça” já está perto de você?
Veja o post anterior, se não está se incomodando...

Peço licença à Soraia para reproduzir (e aplaudir) seu texto, em apoio à Adriana Vandoni, tão indignado quanto

Estamos em 2008. Era da internet, da comunicação digital e da... censura. Não, não errei a época. O leitor Zé do Coco informou e fui conferir: a economista Adriana Vandoni, articulista política parece incomodar alguns políticos por aí. Prova maior é o fato de Adriana ter descoberto, em notícia publicada na imprensa, que é réu em um processo movido pelo diretor-geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), Luiz Antonio Pagot. Adriana tomou conhecimento também de que já existe uma audiência marcada para o próximo dia 17, quando deverá explicar, em juízo, algo que publicou em seu blog, aliás, blog este que tem acesso bloqueado nas repartições públicas estaduais de Mato Grosso. É censura ou não é? O senador Arthur Virgílio (PSDB/AM) defendeu-a na tribuna ontem. Acesse aqui para ouvir o senador
Apesar das intimidações covardes e tentativas de se tirar o blog do ar, reportando-nos a tempos que queremos esquecer, o blog da economista está firme e forte, e com o apoio de pessoas que fortalecem a democracia e a transparência informativa com seu trabalho diário. Que as vozes que se levantam em cada canto desse país, para denunciar as negociatas e crimes cometidos contra o povo brasileiro e suas instituições, sejam corajosas como desta mulher.


http://www.prosaepolitica.com.br/


Blog da Soraia

Não é comigo!...

"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.

No dia seguinte, vieram e levaram meu outro vizinho que era comunista. Como não sou comunista, não me incomodei.

No terceiro dia vieram e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.

No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar...

" Martin Niemöller, 1933

9 de dezembro de 2008

Nunca será demais lembrar...

MANUAL DO DEMAGOGO (COMO CONTROLAR MASSAS)

A propaganda deve ser popular.
A quem a propaganda precisa ser dirigida? Aos intelectuais ou às massas sensibilizadas?
Na minha opinião ela deve ser dirigida somente às massas

A propaganda deve ser popular
Isto é, desenvolvida a um nível de compreensão de maneira a ser acolhida pelos mais humildes daqueles a quem se dirige

Conseqüentemente, seu nível espiritual será tão menos elevado quanto maior será a massa que se quer envolver

Entregar-se às grandes mentiras.
Pode ser que o povo seja corrupto até mais recônditas entranhas de seu sentimento, mas jamais ele é conscientemente mau

É, portanto, muito mais fácil envolver o povo numa grande mentira do que numa pequena. Justamente pela simplicidade de seu modo de mentir

Se a mentira for de proporções exageradas, nem passará pela cabeça das pessoas ser possível arquitetar um tão grande falsificação da verdade.

As grandes massas tem uma capacidade de recepção muito limitada, uma inteligência modesta, uma memória fraca

Para que uma propaganda seja eficiente, deve basear-se, pois, em pouquíssimos pontos, repetidos incessantemente, até o homem mais rude ser induzido a repeti-los continuamente a fim de imprimi-los no íntimo de sua CONSCIÊNCIA INOCENTE...

Mostrar que o inimigo é sempre o mesmo.
É dever do “líder” político mostrar que mesmo os inimigos mais diversos pertencem a uma mesma categoria

Individualizar mais que um adversário pode provocar nas massas inseguras e perplexas, discussões e dúvidas sobre a justeza do seu direito.

Não se deve hesitar em desencadear sobre o adversário um FOGO CONTÍNUO DE MENTIRAS E CALÚNIAS, ATÉ PROVOCAR UM ESTADO DE HISTERIA COLETIVA

Neste ponto, para obter de novo a PAZ, o povo estará disposto a sacrificar a vítima escolhida...

Adolf Hitler - Mein Kampf -

7 de dezembro de 2008

Competência, Talento ou Desestabilização

Hoje vamos saber quem será o Campeão Brasileiro de Futebol.
E pelo que vemos na midia esportiva, podemos concluir que são utilizados os meios devidos e, às vezes, os indevidos, para se conseguir a vitória nesse esporte.
Acusações, menosprezo e tentativa de desestabilizar o adversário de todas as formas, fazem parte da normalidade(?) nessa disputa.
"Normalidade"?
Apenas a luta limpa, conforme os recursos esportivos, os talentos esportivos e a competência esportiva que cada um possui, é que deve ser o motivador.
O que haverá nas entrelinhas da história do campeonato?...

6 de dezembro de 2008

Fragmento da música - Happy New Year - ABBA

Desejo que nós
tenhamos uma visão agora,
e sempre
de um mundo onde
cada vizinho é um amigo

Feliz Ano Novo!

5 de dezembro de 2008

Transito = Civilidade

Existem avenidas em que há uma faixa, para a direita ou esquerda, destinada aos veículos que vão sair para outras ruas.
Quem deseja sair deve seguir nessa faixa aguardando sua vez.
Tenho visto veículos que se adiantam, em fila dupla, para não perderem tempo na fila e, por conseqüência, acabam forçando a entrada na frente da fila e tomam o lugar e o tempo dos que, pacientemente, aguardam sua vez.
E essa atitude independe de aparência de “otoridade” ou de “menas” cultura e "pudê".
O que será que os responsáveis pelo transito pensam, que não mudam isso?
O que será que essa gente pensa?
Será que falta Civilidade?
O que acontece com essas pessoas que não respeitam o direito do semelhante?
Será que (para estar atualizado) estão com alguma “diarréia” e, por essa razão, deixam que os outros “sifu” na fila?
Talvez o que falte mesmo seja um pouco de conhecimento do Português!
Vamos ajudar?
De acordo com o “Kinghost.com.br”
CIVILIDADE é...
s.f. Observação das conveniências, das boas maneiras em sociedade; cortesia, urbanidade, polidez.

Pensamento

A vida é uma viagem, não um destino.
É de suma importância aprender a não viver obcecado por chegar lá.
O destino é o fim.
O que importa é a viagem, não o destino.
Se cumprirmos metas por considerá-las as coisas mais importantes da vida, não compreendemos a finalidade da vida.
A meta é apenas um pretexto para jogarmos o jogo.
(Padúia)

Voltando

Passei por SC (vindo do sul) no começo do "dilúvio", mas não fiquei por lá, por alguma razão...
Hoje recomeço a postar.