O Bolsa-família foi criado originalmente por FHC e a Estabilização da Economia, que permite vida melhor e MELHOR RENDA aos brasileiros mais pobres
é OBRA DE ITAMAR E FHC!

- O que não se perdoa ao Presidente FHC é o seu Sucesso! -

Aos Blogueiros Decentes
Ainda que teus passos pareçam inúteis, vai abrindo caminhos,
como a água que desce cantando da montanha. Outros te seguirão...
(Saint-Exupéry)


15 de abril de 2011

Espontaneidade nos aplausos do espectador no Teatro

Ir ao teatro é ótimo, especialmente quando o som é bom e o público entende o que os atores e atrizes dizem.
Aliás, condição fundamental.

Não entendo (e muitos - basta prestar atenção ao final dos espetáculos) é aplaudir por longo tempo.
O que determina o tempo de aplausos em um espetáculo?
Óbvio que existem espetáculos e atuações merecedoras de aplausos longos.
Mas... todos?
Não é natural!
As pessoas percebem nos aplausos, após algum tempo, que uns poucos aplaudem efusivamente (Parentes? Amigos? Críticos? Patrocinadores?) enquanto a maioria aplaude porque outros aplaudem.
Alguns param de aplaudir, mas como outros não param... voltam a aplaudir.
Na hora dos aplausos o espectador é que passa a representar?
Às vezes não retrata o sentimento de muitos, que “não foi para tanto“.
Insensíveis? Incultos? Ignorantes?

Aplausos naturais?
Mais ou menos como o excesso na menção de "aplausos" neste texto?

E reafirmo:
Ir ao Teatro é Ótimo!
Mesmo com alguns "excessos".

Nenhum comentário: